sexta-feira, 7 de maio de 2010

Dia a Dia



Estamos sempre a perder coisas,
as mais frágeis, ou as que caem pelo caminho
quando abrimos os braços para receber.
A nossa vida nunca tem as mesmas palavras
para o que transportamos,
mas tudo o que achamos nos deslumbra
a casa, cheia de coisas que temos
ou não temos cada dia.






Rosa Alice Branco
Da Alma e dos Espíritos Animais
ed. Campo das Letras, 2001
imagem de Júlio Resende

2 comentários:

sleeping beauty disse...

Muito bem pensado e sentido. Gostei.

almighty yellowphant disse...

parabéns. 4 anos de blog :D