quarta-feira, 20 de agosto de 2008

10 boas canções pop

Nos anos 80, pop queria dizer Kate Bush e queria dizer David Bowie e queria dizer Valvet Underground. Hoje pop quer dizer "não ouçam". As evoluções naturais da pop dos anos 80 são agora música alternativa, e o termo pop usa-se para o tipo de música direccionado aos adolescentes mais típicos, sendo assim uma mescla de sons pastilha-elástica que têm em vista apenas o sucesso, e que se caracterizam pela falta de qualidade, associada a uma campanha em que interessa tudo, das mamas ao rabo, menos a música.
No entanto HÁ EXCEPÇÕES. Ficam aqui 10 canções em que a pop se revela menos má. Mtv áparte.
(Cliquem sobre o título para ouvir. As canções não foram escolhidas pelos videoclips, alguns dos quais vi agora pela primeira vez, e são terríveis.)

1. MADONNA "To Have and Not To Hold"
Madonna. 50 aninhos acabados de fazer, e continua a ser o verdadeiro espírito da pop. Com excepção do seu álbum mais recente, nunca aderiu a modas e soube sempre como estar na crista da onda. A música lá vem, umas vezes melhor, outras pior. Em "Ray Of Light", há canções que valem mesmo a pena como "Frozen", "Drowned World/ Substitute For Love" ou "Ray Of Light". "To Have and Not To Hold" é um exemplo. Madonna com Craig Armstrong e Patrick Leonard= álbum bom.

2. TEXAS "Can´t Resist"
Com uma enorme influência da música house e downtempo, os Texas de Sharleen Spiteri não têm medo absolutamente nenhum do dançável e do que fica no ouvido. Em "The Redbook", surgem canções mais electróncias do que o costume, misturadas com travos de amargura ou de felicidade. No caso específico de "Can´t Resist" será a primeira.

3. ESTELLE "American Boy"
Contrariamente ao que se costuma fazer nesta pop com influencias de hip hop, Estelle tem, nesta música, um ritmo diferente do habitual, aliás, arrítmico, aliado a uma tonalidade vocal muito interessante.

4. CHRISTINA AGUILERA "Hurt"
De todas as princesas da pop, Christina Aguilera é a única que teve vários bons momentos na sua carreira. Isto, claro, apenas nos dois álbuns mais recentes, Stripped e Back to Basics (Os anteriores são para esquecer.). Poderia estar ali em cima "Fighter", "Cruz", "Soar", "Ain´t No Other Man" ou "Walk Away". "Hurt" fica por puxar particularmente pela voz da rapariga, que não cede.

5. THE CORRS "Long Night"
Com influências célticas. Claro. Nenhuma canção dos irmãos Corrs é má, mas esta é particularmente boa, e o violino, meu deus, o violino. Do álbum "Borrowed Heaven", belíssimo título.

6. ANASTACIA "Boom"
E mais uma questão de voz. Se estamos a falar de vozes potentes, a de Anastacia impõe-se inevitavelmente. Pontos de destaque "Seasons Change", "Paid My Dues", "Heavy On My Heart" e "Time". "Boom" serve também.

7. JEWEL "Intuition"
O pior momento de uma menina do rock é um bom momento pop. Qualquer uma do álbum"0304" poderia figurar aqui. Mas "Intuition" tem um vídeo mais giro.

8. NELLY FURTADO "Try"
Belíssima canção. Lamentavelmente, "Loose", terceiro álbum de Nelly Furtado consegue ser mais rasca do que "Whoa Nelly", o primeiro. O irmão do meio, "Folklore" é uma boa colecção de canções, das quais "Try" se revela a mais temperamental e sensível.

9. DIDO "My Lover´s Gone"
Voz perfeita, quente e suave, numa música definitivamente boa. Quase todas poderiam estar ali em cima. "My Lover´s Gone", no entanto, faz mais sentido (Para mim.) neste momento.

10. DELTA GOODREM "Innocent Eyes"
Ainda que se tenha tornado repetida posteriormente, Delta Goodrem tem no seu primeiro álbum "Innocent Eyes", um excelente exercício pop. Em vez de se preocupar em encontrar o ritmo certo para abanar o rabo da forma mais óbvia, vai ao piano buscar as suas baladas. Românticas e adolescentes, talvez, mas bem conseguidas, também.

2 comentários:

sleeping beauty disse...

Cuidado que a pequena de TEXAS CAN´T RESIST é irresistível.
Não interessa se a música é muito boa ou não, porque a performance da jovem é sedutora que baste.
Adorei.

Supermassive Black-Hole disse...

sharleen spiteri no seu melhor, indubitavelmente