sexta-feira, 29 de agosto de 2008

sítio lido IV



Estremeço.
No coração.
As letras vêm de lá
E da mão.

Padeço:
o eco – perco-o –
sai da garganta
e da distância.

Palavra é o que lembo
Ou o que meço?






Luiza Neto Jorge,
"Os Sítios Sitiados"
Plátano Edições, Colecção Sagitário, 1973


imagem: "São João" de Odilon Redon

3 comentários:

sleeping beauty disse...

Adoro a relação gráfica do azul das letras com o azul da pintura, tão bela do Redon.

Supermassive Black-Hole disse...

é curioso, ao ler o comentário, lembrei-me de uma coisa:

letras azuis (blue letters)

"as letras vêm de lá (coração)"

letras azuis que vêm do coração= coração azul (BLUE HEART)

Isto fez sentido??

sleeping beauty disse...

Tudo tem sentido. O azul tem muito sentido. O azul é a cor do pensamento, da racionalidade. Se o azul vem do coração, então atravessou a emoção.