segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Um Ritmo Perdido


Um ritmo perdido...

Se uma pausa não é o fim
E o silêncio não é ausência,
Se um ramo morto não mata uma árvore,
Um amor que é perdido, será acabado?

Um ouvido que escuta,
Uma alma que espera...
_Uma onda desfeita
É ou já não era?

Ana Hatherly
Um Ritmo Perdido
1958, edição da autora
desenho de Ana Hatherly

2 comentários:

sleeping beauty disse...

este poema também é arquitectura...
refere-se a espaços que se percorrem, ficam em espera e reencontram-se. Nunca se perdem. Estão guardados pelo silêncio.
Gostei muito.

Supermassive Black-Hole disse...

fOi O primeirO pOema dela... engraçadO...