terça-feira, 1 de junho de 2010

um poema




Não conhecia a noite povoada

Não conhecia a noite
cheia por dentro de espaços
e de tempos

Não conhecia a noite
andando primeiro pela estrada
e andando depois por um caminho

Não conhecia a noite
dos corpos sem amor
em êxtase de pé
devagarinho



Yvette K. Centeno
Poemas Fracturados
1967, Guimarães editores, colecção Poesia e Verdade
desenho de Sadsamson

1 comentário:

sleeping beauty disse...

gostei muito do poema e do desenho.
O desenho é tão intrigante. A figura quer agarrar mas ferir ao mesmo tempo. Há algo de abandónico numa espécie de fragmentação. Um GRITO? "Quem, se eu gritasse, me ouviría entre as hierarquias de Anjos?..."Rilke
Se eu estava só, só e desesperado, por gritar tão alto?...