terça-feira, 6 de abril de 2010

e por falar em ofélia

a "Ophelia" de Natalie Merchant

3 comentários:

sleeping beauty disse...

Uma delícia. Fico sempre feliz quando observo que nem todas as cantoras femininas são louras burras ou apenas um corpinho equilibrado de carnes e carinha laroca. Há cantoras que sabem o que dizem e provocam no seu discurso. ADOREI. Sim, porque Madonna só há uma e Tori Amos também, o resto é paisagem. Mas na paisagem surgem flores interessantes

sleeping beauty disse...

No entanto, uma OPHELIA diferente da OPHELIA da Tori Amos.
O que as une é a descodificação dos papeis atribuidos às mulheres. Ou são salvadoras da humanidade, sufragistas, cortesãs,meninas rebeldes, noivas de Deus, amantes, vitimas de maus tratos. Enfim, continuam a ser palavras interditas!!!

Supermassive Black-Hole disse...

é verdade. mas como me disse uma feminista uma vez, "enquanto no mundo houver uma mulher que tem que usar burka, o feminismo tem que existir". Dá para perceber que, lentamente, vão sendo muitas as frentes. A poesia, a literatura, a arte, a música...