segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

presságios de alfama

névoa e partida
vaivém das vagas
luzes no mar
vela perdida
vozes presagas
a vêm tocar

vozes presagas
quanto agoirar

luz esquecida
como te apagas
a tremular
ó louca vida,
como naufragas
a navegar

vozes presagas
quanto agoirar

morre a gaivota
doente
e à tua rota
vai rente
num triste trino
a chama
o teu destino,
alfama

morte que sem olhos fita
pelo mar vem a desdita
pó de saudades,
cinzas sem lume
escuridão
e tempestades
noite e negrume
no coração

noite e negrume
no coração

às cegas vou
e não sei
quem violou
esta lei
quem poluiu
o meu linho
quem me impediu
o caminho

meu destino já marcado
erros meus que são meu fado


VASCO GRAÇA MOURA
para o álbum "Canto" de MÍSIA

1 comentário:

sleeping beauty disse...

Que lindo- noite e negrume no coração. Gostei.
A letra é muito fadista e interessante. O Vasco Graça Moura estava muito desprendido para fazer uma letra destas. é na poesia tão certinho e complicado...