segunda-feira, 5 de maio de 2008

fado alexandrino


Amanhã chegaste à minha vida
e disseste bom dia e era noite lá fora
puseste-me na mesa o prato da comida
acenaste-me adeus e não te foste embora

E como era manhã vestiste o meu pijama
tomaste um comprimido para dormir acordada
como era hora do almoço chamaste-me para a cama
como era hora da ceia bebeste-me ensonada

E quando temos frio aquecemos à lua
as mãos que penduramos na corda de secar
quanto mais roupa trazes, mais eu te sinto nua
e quanto mais te calas mais te sinto cantar


poema: ANTÓNIO LOBO ANTUNES
imagem: RENÉE MAGRITTE

1 comentário:

RVCA disse...

Belo poema este e bela obra. Curioso, já utilizei esta imagem no meu blog num post intitulado "Anónimo". Se quiseres dá lá um salto ;)

Este ta,bém está interessante.
Continua :)