quinta-feira, 4 de setembro de 2008

1 poema de Regina Guimarães+ 1 foto de Peter Hujar



Quem se queixa
Quem gueixa queimada responde:
Não te quero, pimenta foras
duma iguaria sensata
disposta como uma montanha.

Nem lei se ouve
quanto mais ler nos restos
quanto menos servir-se da luz pela esquerda
nesta desordem de pratos limpos.

Nem sineta chama os dois convivas
nem música dispersa as letras do rebanho.
Todos vêm ao chamamento de nada
diluvianamente falando.

Outros outroras equivalem
sem haver tempo para os amortalhar.
Tudo isto me explicas e eu não entendo
muito de leis muito de leis muito de leis.

Ronda-me a casa um segredo de azuis, troféus.
Quando saio carimba-me o corpo todo
e faço fraca figura
porque o meu feitiço já não condiz comigo:
Sua cortêsmente, etc.





Regina Guimarães, "Vacina"
retirado de "Anelar, Mínimo", edição &etc
1985- esgotado

Foto: "A Noiva Marroquina" de Peter Hujar

1 comentário:

Pedro M. Tavares disse...

Obrigado João. Respeito imenso o trabalho que o Hausmann desenvolveu em nome da Dada, sobretudo em Berlim. Eu penso que já tivemos oportunidade de nos conhecermos pessoalmente se não estou em erro. Ao analisar o teu trabalho e sobretudo o teu gosto por literatura, suponho que fomos apresentados num passado recente por um amigo em comum chamado Diogo.