terça-feira, 20 de janeiro de 2009

cadavre exquis

por João Borges, Sérgio Marafona e Cátia de Almeida

Eu começo: Assim começa:
Era uma vez da praxe, coiso e...
Gostei de ver, estavam todos de kit.
Havia um peixe que fumava haxixe, mas nunca
conseguiu atingir o orgasmo por isso...
Tal como o Paulo S. organizei o meu arquivo!
Um dos livros falava de uma mulher que só comia paus de champagne.
É obvio que paus de champagne é uma metáfora metaforicamente metafórica.
Sim, ou não? Paus de champagne fariam muita gente feliz.
Ou outro tipo de paus.
De repente o Capuchinho Vermelho percebe que há pedras à beira dos paus. O que é estranho visto falarmos de escudos e não de euros.
Euros não é uma cá com capuchinhos... Faz-me lembrar a Cinderella, puta e drogada, a sonhar com o baile dos gigolôs.
Ou da Linda Reis outra vez no Herman Sic. É frustrante pensar...
Por falar em "Linda" e em "Herman" e como toda a gente sabe da cor do cabelo do Herman. E por falar em cabelo...
Por falar em cabelo, lembro do cabelo do nosso "Casper" que aqui há uns anos não tinha nem um fio mas que agora anda para aí todo casparizado do cabelo.
As pessoas e os fantasmas crescem e ganham novas características. Neste caso, trata-se do príncipe que ascendendo a rei, tem um manto (de caspa) sobre os ombros. Mas podiam ser pelos púbicos em vez de cabelo.
A omnisciência dos fantasmas faz com que a sua magnificiência transceda os frutos silvestres. Gostas de amoras? Vou dizer ao teu pai que já namoras.

(feito durante a meia hora em que se discutiu a data de entrega do trabalho de História da Arquitectura que tínhamos acabado de entregar.)

3 comentários:

sleeping beauty disse...

Já que este trio ficou tão entusiasmado com as possibilidades eróticas dos paus de champagne, Não resisti a facultar esta receita afrodisíaca, que ao ser realizada, coloca os iniciados numa espécie de climax atingido.
Tudo saboreado com a lingua e devagar, para atingir as potencialidades totais dos sabores.
Um beijo.

Doce de Palitos la Reine/paus de champagne

130 gr. de margarina
11 colheres sopa de açúcar
4 ovos
200 gr. chocolate em barra
400 gr. de Palitos la Reine
2 dl de natas
1/2 copo de água
1/2 copo de Vinho do Porto

Bate-se a margarina amolecida com 5 colheres de açúcar, depois junta-se as gemas e o chocolate derretido (pode guardar-se um pouco de chocolate para decorar por cima).
Batem-se todos os ingredientes cerca de 10 minutos. Batem-se as claras de castelo e junta-se. À parte mistura-se a água e o vinho com 2 colheres de açúcar.
Forra-se um pirex com palitos la Reine e humedece-se com o liquido (costumo utilizar uma colher de sopa para ir molhando os palitos). Fazem-se camadas (geralmente duas) com os palitos e o creme de chocolate.
Batem-se as natas com o restante açúcar e cobre-se o doce. Derrete-se o chocolate que se reservou e enfeita-se por cima. E disfrutem o plaisir...

MF disse...

Só estes três!
Bora cuscar?!

Supermassive Black-Hole disse...

Ora bolas Mariana...
o próximo fazemos os cinco. Cuscar... hum... parece-me bem..

Graça
obrigado pela receita, tenho a certeza que vamos todos experimentar