quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

2008: para o bem e para o mal

o bem

José Saramago, António Lobo Antunes, Lídia Jorge, Herberto Helder, José Luís Peixoto e Rui Lage, Eduarda Chiote, António Ramos Rosa e Maria Velho da Costa trouxeram-nos novidades livrescas: "A Viagem do Elefante", "O Arquipélago da Insónia", "Praça de Londres", "A Faca Não Corta o Fogo", "Gaveta de Papéis", "Corvo", "Não é Preciso Gritar", "Horizonte a Ocidente" e "Myra".

o concerto de Bjork no festival do Sudoeste

os Portishead trazem a lume o seu mais recente álbum, "Third", 11 anos depois do anterior


as sessões de poesia da Fundação Eugénio de Andrade

a actuação dos Muse no Rock In Rio

a estreia de "O Programa do Aleixo" na Sic Radical

a eleição de Barack Obama

o movimento Não Apaguem a Memória, a promover uma série de sessões sobre a história da ditadura e do 25 de Abril

Fernando Meirelles adapta "Ensaio Sobre a Cegueira" de Saramago ao grande ecrã, com Julianne Moore no papel principal

a exposição "The Love Box" de Isabel de Sá

prosseguem as "Quintas de Leituras" no Teatro do Campo Alegre

deixou de se falar do caso Madaleine McCann

os concerto de Massive Attack Editors e de Lou Rhodes a passarem pelo Porto

a exposição de Peter Zumthor no LX Factory de Lisboa

a quarta época de "Donas de Casa Desesperadas" vem finalmente a lume

o 100º aniversário de Manoel de Oliveira

Peter Greenaway traz-nos "A Ronda da Noite" sobre Rembrandt

Mariza, Nico Muhly, A Naifa, Muse, Goldfrapp e Annie Lennox lançam novos álbuns "Terra", "Mothertongue", "Uma Inocente Inclinação Para o Mal", "HAARP", "Seventh Tree" e "Songs Of Mass Destruction"

e eu saí do Ensino Secundário e passei para o Superior...



o mal

a vergonha da edição de "A Faca Não Corta o Fogo" de Herberto Helder pela Assírio e Alvim

a mudança de Ministro da Cultura não trouxe quaisquer consequências relevantes

o anúncio de José Saramago de que "A Viagem do Elefante" será o seu último livro

"True Blood", a nova série de Allan Ball, que fez furor com "Sete Palmos de Terra" não estreia na televisão nacional

termos ouvido Sarah Pallin

termos ouvido John McCain

termos ouvido e sido governados por José Sócrates

o nosso governo, cada vez mais ditatorial

o novo estatuto do aluno

o novo estatuto da carreira docente

Britney Spears ainda (Finge que) canta

foi necessário Manoel de Oliveira fazer 100 anos para que lhe dessem este destaque

o novo álbum de Madonna, "Hard Candy" uma absoluta desilusão

a actuação decadente de Amy Winehouse no Rock In Rio

o exame de Desenho a ser muito mais complicado que nos anos anteriores, quando com o resto dos exames aconteceu o oposto

a vergonha do Rivoli quando no Fantasporto, La Feria se recusou a retirar as terríveis decorações de "Música no Coração" do espaço

uma coisa chamada FamaShow

outra coisa chamada Rebelde Way
outra coisa chamada Morangos com Açúcar
uma coisa chamada Just Girls
uma coisa chamada Angélico que dos DZRT passa a cantar a solo

os novos álbuns de Sia, Kate Walsh e Vanessa Carlton a não serem publicados nos escaparates do nosso jardim à beira mar plantado

entra em prática a nova lei da proibição do tabaco. Raros cafés se tornam "salas de chuto"





Agora façamos contas

2 comentários:

sleeping beauty disse...

As contas estão feitas, dou-te toda a razão.
Há alguns esquecimentos imperdoáveis, nas coisas boas que te aconteceram este ano. Esse lapso o freud explicaria.
Caro black-hole, então a deliciosa viagem a Lisboa e a visita à editora icónica & etc e ao querido editor Vitor Silva Tavares. As horas passaram sem dar conta, com as descrições do Vitor e o contacto com os livros lindos e as raridades esgotadas, que te entusiasmaram ao ponto de correr alfarrabistas no Porto para adquirir alguns.
Conhecer o Pavilhão Chinês, perto do Príncipe Real. Lugar de culto.
Conseguir o livro da Alice Corinde.
Organizar os teus poemas num livro e despachá-los para uma editora de Lisboa.
Leres poemas numa sessão de poesia pública, organizada pela livraria Poetria, no Café Progresso, no Porto, poemas da Eduarda Chiote, Isabel de Sá, Helga Moreira e Luiza Neto Jorge. E o público ter adorado.
Entrares em Arquitectura e sentires-te bem.
Teres um saco black.
Concordas? E faltam mais... coisas positivas que abafam definitivamente as negativas e que eu não disse. Podes crer.
Um beijo
Graça

Supermassive Black-Hole disse...

tentei evitar um pouco a via pessoal (apesar de não ter resistido à entrada na faculdade). Mas tudo isso é verdade, sem dúvida.
Um beijo