terça-feira, 21 de julho de 2009

A Magnólia/ Magnolia´s Dead


A exaltação do mínimo,
e o magnífico relâmpago
do acontecimento mestre
restituem-me a forma
o meu esplendor

Um diminuto berço me recolhe
onde a palavra se elide
na matéria - na metáfora -
necessária, e leve, a cada um
onde se ecoa e resvala.

A magnólia,
o som que se desenvolve nela
quando pronunciada,
é um exaltado aroma
perdido na tempestade,
um mínimo ente magnífico
desfolhando relâmpagos
sobre mim.


Luiza Neto Jorge, "O Seu a Seu Tempo"
ulisseia, 1966


imagem:
Graça Martins, Magnolia´s Dead
2005

1 comentário:

sleeping beauty disse...

Muito bonito o jogo de palavras, o sentido metafórico e o acompanhamento visual.
Um beijo
Graça